sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Visita ao Museu Afro.

No dia 06 de setembro de 2011 e dia 13 de setembro, as duas turmas visitaram o museu Afro.
Tivemos uma abordagem pelos educadores a respeito da religião, ritos e tipos de máscaras usadas nas celebrações africanas, a parte da exposição mais marcante foi o navio negreiro, onde os educandos puderam resgatar as memórias de como foi a época e o sofrimento dessa viagem.
Os jovens da tarde questionaram o fato das representações dos deuses, que representam a natureza e o fato de sacrificar os animais a cada rito.Na visão delas não há necessidade de sacrificá-los a cada pedido.



O educador explicou que não era o intuito de convencê-los sobre a verdade e sim apenas mostrar como funciona as religiões africanas.No final foi muito elogiado o grupo do dia 06 pela participação!!!
A turma da tarde foi dia 06 e contou com a presença de 18 pessoas, já incluso o educador.
A turma da manhã foi no dia 13 e contou com a presença de 10 pessoas, incluso o educador.

Teatro já é, Demoro

Fomos as duas turmas ao CEU Meninos, assistir uma peça de Teatro que retrata a vida sexual de três jovens, com o foco em prevenção!!!




Foi um teatro muito dinâmico e divertido, os jovens gostaram muito!
Nesta exploração foram 16 pessoas , contando com educador e coodenadora
Dia 09 de Setmebor de 2011




No dia 09/09,08  jovens da turma da tarde   assistiram a peça "Higiene" ,apresentada no território de Heliópolis com objetivo de retratar o contexto social em que os imigrantes vivenciavam ao chegar ao Brasil ,e mostrando que embora se passaram décadas e décadas , ainda hoje existe muitas pessoas que não tem consciência sobre o que é higiene ...... 



o teatro circulou por várias ruas da comunidade!!!!!!!!!!!

é isso aí os jovens interagindo com os atores da peça!!!!!!!!!!!




Nossa quanto entulho !!!!!!!!!!!


O Maria vê se pode isso!!!!!!!!!

Visitação a casas das Rosas Turma da Manhã.

Na 1º Semana do mês de setembro, foi proposto aos jovens da turma da manhã uma exploração sem a presença do educador, particularmente ficamos preocupados pelo fato dessa turma ser "bagunceira", mas como o princípio de oferecer autonomia aos participantes decidimos arriscar.Bom tudo deu certo e foi um alívio para a  equipe, os participantes Bianca, Roger, Marcos, Natan, Raquel, Igor, Bruno, Liliane, Larissa, Jaiane e Daiana, comportaram-se muito bem.
Ao perguntar o que foi visto no local e se puderam perceber algum contraste, as respostas foram óbvias e sem surpresas:








Liliane: Ahh, eu achei um local muito tranquilo, em meio a correria do dia-a-dia e das preocupações de quem trabalha na região.Gostei do casarão antigo e da história que foi contada por um visitante de como que surgiu a ideia de fazer a casa das Rosas.
Comentei com o grupo, que é um recanto até esquecido em meio "a selva de concreto e aço", expressão muito utilizada para retratar São Paulo.Pode funcionar como refúgio dos profissionais na sua hora de almoço e ajudar muitas pessoas, para não sofrerem de infarto.